Reconhecimento...

|
Já é tarde. Ou cedo? Sou péssima nesse tipo de definição, aliás sou péssima em qualquer tipo de definição. Mas, eu não poderia ir dormir sem fazer um breve comentário.

Layout novo. Viram? Melia disse que é a minha cara. Será a orquídea? (rs)

Ainda há algumas alterações a serem feitas, mas estou gostando muito. Acho que esse é meu preferido de todos que já usei. Aliás, vou ter que achar isso por muito tempo porque gastei os parcos neurônios que ainda me restavam pra conseguir baixar layout, baixar programa pra baixar layout, aff... rs.

Enfim, valeu à pena, gostei da combinação de cores. E gostei, principalmente, da idéia: uma flor que desabrocha à sombra de palavras, e se utiliza das mesmas para se deixar ver sim, mas só em partes.

Mas, estou fugindo do assunto que me trouxe aqui. Esse post serve (e se serve... trocadilho terrível...rs) para agradecer a paciência inesgotável de Melia ao me ensinar a dar ao blog uma carinha mais apresentável (afinal, nem só de conteúdo vive um blog, né?...rs).

É fato que sou uma negação com máquinas e confesso que tenho até um certo orgulho (besta) disso, um certo prazer em me manter uma retrógrada apegada a "amigos, livros e discos" (casa no campo, lembra?).

Só que encontrei um ser tão teimoso quanto eu. Enquanto eu teimava em fazer tudo errado, Melia teimou em me fazer entender e insitir. E, felizmente, quem ganhou essa "batalha" foi ela. Só que a vida não é nada justa e quem ganhou o prêmio fui eu.

Ao usar o tal programa a meu favor, a favor de minhas distoantes e dissonantes palavras, senti uma satisfação enorme. Sabe criança que consegue andar de bicicleta a primeira vez? Uma sensação meio louca e contraditória, de repente o medo do desconhecido se foi e você agora só sente o prazer da conquista, o vento no rosto.

Pois é, Melia foi aquela pessoa que segura firme a bicicleta e ainda te incentiva a dar suas próprias pedaladas por aí. Há algo de desprendimento e altruísmo nisso tudo. Será que é isso que os inspirados chamam de amizade?

Não importa o nome, nem o tamanho do gesto, segurar uma bicicleta, baixar um programa, isso te parece muito pequeno, não? Sou assim mesmo, só consigo ver realmente grandeza nos gestos simples, inesperados, espontâneos.

E vc, nem deve se surpreender, não é mesmo? Já avisei que sou absolutamente patética... rs.

5 comentários:

Melia Azedarach L. disse...

Fico tão feliz em vir aqui logo depois de acordar, ainda com a cara inchada de sono e ver esse texto, é realmente gratificante.
Sabe por toda a vida eu ajudei as pessoas querida, mas poucas são agradecidas, procuro não esperar nada em troca para não me decepcionar, mas todos no fundo esperam um pedacinho de "reconhecimento" e quando esse não é dado você fica meio chateado, logo esquece, mas ainda sim você lembra muitas vezes depois.
É tão bom quando alguém que vc ajuda fica realmente feliz e agradecido a ponto de dizer isso de forma única como você fez nesse texto.

Paulo e eu não sabemos andar de bicicleta, como já comentei, mas eu sei andar de patins, então a sensação pode ser a mesma, só que ninguém me degurou, então não dá pra comparar, entãooo vou comparar sua sensação, vejamos, quando aprendi a bordar tricotar e muitas outras coisitas de mocinha prendada rsrsrs.

Ao certo eu estou feliz hoje e acho que meu post vai ser uma mistura de você e Paulo rsrs.

Um grandioso beijo e ótima quinta!
Obs: ta lindo o blog =)

Paulinho, o Panda disse...

Ah... q bonitinho. =P

Mas... falando sério... a vida sempre tem graça quando n é seguida sozinha... seja na bicicleta, no layout ou na prova q alguém se fudeu junto contigo...

Antes mais do mundo tivesse a pateticidade de dar valor àquilo q marca, ao invés d valorizar aquilo q TEM marca...

Abençoada seja sua "pateticidade" e a da "bobocidade" da Mélia... definitivamente são coisas q ainda inspiram muitos a acreditar q algumas coisas ainda têm salvação..

Beijos, muchachita.

a má estrela disse...

rsrs um ótimo upgrade no visu do blog,mas ainda que ele fosse totalmente branco não me importaria...(alias,o da mélia eu adorei quando era branco) o que me faz buscar o endereço dos blogs de ambas nos favoritos é o conteudo,a sinceridade de cada palavra... honestamente,vcs que façam do lay out como queiram... só nunca deixem de escrever.

bjos

Ricardo disse...

O que é ser uma boa pessoa? Pergunta cruel que me faço todos os dias. Esse é um comentário amargo, aliás... qual dos meus comentários não é amargo? Ao ler o texto destinado a Melia, para agradecê-la... só senti sentimentos que me envergonham muito. Primeiro: ciúmes. Sem explicações... Segundo: raiva. Afinal, eu não conheço a Melia. Atualmente, eu diria, numa introspecção absolutamente triste, nenhuma pessoa parecida com a Melia... pessoas altruístas, dispostas a segurar a biclicleta... ah!... Um dos meus diretores prediletos: Lars Von Trier. Alguns filmes dele: Dogville, dançando no escuro. Essa visão do ser humano, tão bem retratada nesses filmes explica meus outros sentimentos: incredulidade. E finalmente: inveja. Por que eu não tenho uma Melia também? Cadê minha Melia?

Anônimo disse...

patetica? teimosa?
estamos evoluindo.rs

abraço Zun