Ontem, hoje... quem sabe amanhã?

|
Ontem chorei enquanto você falava. Lamento cansado, expressão de uma dor que já cansou de doer, mas não deixou de existir. Lamento mudo. Lágrimas discretas que correm de mansinho. Sem pressa, nem direção a ensinar. Afinal, ninguém precisa lembrar às aguás do rio o caminho a trilhar.

Hoje acordei. Olhei pro espelho e vi um rosto lavado. Não existia mais aquele rastro seco do rio que havia corrido ali. A água não tinha mais gosto de pesar. A água não tinha gosto.

Acredito até que a dor não deixou de existir. Talvez eu apenas tenha cansado de sentir. Lembro de você, das suas palavras, da sua presença. Essa lembrança é doce, é acolhedora, me faz sorrir .

Ainda acho que há guerras de um homem só. Mas agora entendo o que você quis dizer. Não há mal nenhum em olhar um pouco pra fora. Em algumas situações, é mesmo o melhor a fazer.

Eu podia agradecer pelo apoio. Podia torcer pra você estar aqui quando a tempestade voltar. Não posso, não quero, nem acho que isso faria sentido pra você. Só o que me resta é esperar que tenha percebido. Não é o tempo, nem qualquer outra coisa que se possa contar. A confiança é o bem mais precioso que eu poderia oferecer.

4 comentários:

Ana Karenina disse...

lindo poema!
eu vivi isso, mas hoje me sinto melhor, mais disposta. mas enfim, da mesma forma que a vida nos surpeende com "surpresas alegres" ela também no traz "momentos dificeis" momentaneamente dificeis de superar, mas é o que vivemos e devemos encarar o que nela tem, fazendo bom proveito ou não, mas seguindo vivendo e aprendendo...
mudei algumas coisas la no blog, veja lá, ainda vou mudar outras coisas,te adoro "meu vilarejo" bjs!

Bill Falcão disse...

Adaptado, seu poema poderia muito bem ser cantado por um Ray Charles, uma Nina Simone, algum dos grandes ligado aos blues!
Bjoooooooooooo!!!!!!!!!

a má estrela disse...

Com certeza,em algum lugar,há alguem muito feliz por ser capaz de despertar algo tão poético em vc...Alguém cujas lagrimas suas correram quase junto das delas,e que aprende na pratica que lagrimas não ruins,expressões de tristeza ou de dor somente,mas sim a prova material de que à ela ainda esta reservada a chance de sentir junto com vc...

Quem sabe o que esse alguem lhe diria agora,que sim,que é descabido agradecer ou pedir; quem sabe nem isso,e o mais provavel é sim que ela não diga nada,o mais provavel,minha cara,é que as palavras faltem pela vontade simples de poder te dar um abraço.

amelia disse...

Ah amiga, quantos rios de lágrimas também já derramei. Ainda bem que desaguaram num mar de entendimento de que chorar, muitas vezes, é a catarse necessária para exorcisar todos os nós que vão, pouco a pouco se formando nas nossas gargantas e que se não são expelidos aos sopetões podem até nos levar a um enfarte do miocárdio. Então, chore mesmo sempre que sentir vontade, seja de noite, de dia, no trem, no avião, em qualquer lugar ou ocasião. Nós, mulheres, temos a nosso favor (pelo menos isso rsr)a "permissão" social para chorar. Façamos bom proveito dessa concessão!!!
Bjsssssssssssssss