Quem sabe eu não toque?

|
"Todo Carnaval tem seu fim

Todo dia um ninguém José
Acorda já deitado
Todo dia ainda de pé
O Zé dorme acordado
Todo dia o dia não quer
Raiar o sol do dia
Toda trilha é andada com fé
De quem crê no ditado
De que o dia insiste em nascer
Mas o dia insiste em nascer
Pra ver deitar o novo

Toda rosa é rosa
Porque assim ela é chamada
Toda bossa é nova e você
Não liga se é usada
Todo carnaval tem seu fim
Todo carnaval tem seu fim
E é o fim
É o fim

Deixa eu brincar de ser feliz
Deixa eu pintar o meu nariz
Deixa eu brincar de ser feliz
Deixa eu pintar o meu nariz

Toda banda tem um tarol
Quem sabe eu não toco?
Todo o samba tem um refrão
Pra levantar o bloco
Toda escolha é feita por quem
Acorda já deitado
Toda folha elege um alguém
Que mora logo ao lado
E pinta o estandarte de azul
E põe suas estrelas no azul
Pra que mudar?

Deixa eu brincar de ser feliz
Deixa eu pintar o meu nariz
Deixa eu brincar de ser feliz
Deixa eu pintar o meu nariz"

P.S.: Não sei de quem é a letra dessa música. Quanto à voz, ainda estou decidindo se gosto mais de Maria Rita ou Los Hermanos.

Sempre gostei dessa música, da letra, da melodia. Mas, hoje especialmente, ela diz muito do que estou sentindo.

Nunca fui do tipo Pollyanna (daquelas que acreditam que o mundo é cor-de-rosa com bolinhas brancas), vejo o que está acontecendo, toda dureza, hipocrisia, injustiça, cinismo. Também me irrito com a corrupção que assola esse país, com a guerra civil não admitida, com essa mania irritante de pôr a culpa no sistema sempre que não sabem resolver um problema, com as operadoras de telemarketing e seu gerundismo, com tantas outras coisas mais...

Mas, optei (nem sei se é uma questão de opção) por não deixar que morra em mim um certo frescor que até eu, muitas vezes, acho despropositado. É isso, eu brinco de ser feliz. Não se engane, essa brincadeira não é de "cobra cega" (se é pra comparar comigo, melhor a cobra do que a cabra...rs), não há vendas, não há olhos fechados. Também não é "pique-esconde", tipo o mundo que se exploda enquanto fico aqui escondidinha.

Na verdade, é só uma questão de olhar, de postura, uma crença de que é possível passar pela lama sem ser "tragada" por ela. Sei que vou sujar os pés, talvez bem mais, mas não vou ficar parada esperando afundar até o último fio de cabelo. Até porque, o dia sempre insiste em nascer, com ou sem mim.

Enfim, se toda banda tem um tarol, quem sabe eu não toque?

7 comentários:

La Critique disse...

sHelena..soh pra vc não pensar que me esqueci de vc, passei aqui rapidamente durante a aula. Mais tarde em casa posto uma coisa recente.

ps.: copiei e colei o comentário que fiz pra melia. Mas é serio, to meio da aula.

Beeijo. e sim eu me lmebrei de mim mesmo, principalmente pelo momento q to vivendo!

braçoo

La Critique disse...

na verddade seria uma coisa decente. mas dexaa

danisita disse...

é bem assim mesmo, acho que todos estamos cansados do cinismo, da "guerra civil" e de tudo mais e isso que você faz é exatamente o que eu tento. Brincar de ser feliz, mas de olhos abertos *-*

Melia Azedarach L. disse...

"Toda rosa é rosa
Porque assim ela é chamada
Toda bossa é nova e você
Não liga se é usada"

Isso me fez pensar em dois sentidos, o real duplo, até triplo sentido rsrs.
"e você não liga se é usada"...andei pensando nisso noite passada, noite retrasada,, enfim, ando pensando demais.

Também sinto sua falta e eu preciso de sua ajuda e tem haver com seu quesito profissional.Espero pode falar contigo logo e tentar explicar melhor, mas nem se preocupe por que nem é tão sério assim rsrs.
Beijos enormes, bom fim de sex-ta e ótimo fds.

obs: acho que você vai gostar do "brinquedo" que postei hoje no blog rsrs.

La Critique disse...

Primeira mente, adoorei a passagem: "tipo pique esconde, tipo o mundo que se exploda e eu fico aqui no meu canto escondidinha", ou alguma coisa parecida com isso.

______

Nossa, seriamente um pouco deprimente essa música (talvez por isso eu mesmo me lembrei de mim, nao que tenha depressão, mas adoro coisas deprimentes). Sem cultura que sou, achei que era sua, e já ia te elogiar, portanto agora elogio o seu bom gosto: adorei a musica (a letra, ainda nao escutei a melodia).

Resumiria, pra mim, em:

Todo carnaval tem seu fim
E é o fim

Deixa eu brincar de ser feliz

Toda rosa é rosa

Pra que mudar?

Deixa eu pintar o meu nariz

É o fim


abração helena.!

até mais.

a má estrela disse...

quero brincar tbm,como se faz!?



Segunda vez que faço esse comentario,acho que o primeiro não saiu... rs enfim,no primeiro tava tocando Nelson Gonçalves no vizinho,pense!: "Naquela mesa ta faltando ele,e a saudade dele,está doendo em mim..." nostagia pura

sem mais delongas,abraços querida,te adoro!

La Critique disse...

bem, agora chegou minha vez de pedir um novo post! hehuahsa

bjs