Por inteira

|


Eu já disse que a proposta desse blog não é virar um diário. Também já repeti algumas vezes que os textos postados aqui são essencialmente ficcionais. Acontece que... vcs sabem como é, né? Eu sou uma pessoa. Pessoas criam laços afetivos. Laços afetivos tornam tudo muito pessoal. Enfim, por motivos óbvios, não há como fugir, pessoas são pessoais. E ponto final... rs.

Por que essa embromação toda? Porque estou de volta. Viva, vibrante e surpreendentemente inteira. É, queridos, naquele hospital me retiraram um rim e parte da costela (pra poderem retirar o rim), mas foi lá também que eu recuperei partes de mim que haviam ficado pelo caminho. Estranho? Nem tanto. A gente não vive ouvindo casos de pessoas que à beira da morte resgataram a vontade de viver? É comum ouvir pessoas que quase morreram dizerem o quanto encararam a vida de forma mais positiva depois dessa experiência. Pois então. Eu tive que colocar minha vida profissional em stand by por um ano e meio pra acompanhar mais de perto a doença da minha mãe e o processo do transplante. Eu deitei numa mesa cirúrgica depois de assinar um termo de responsabilidade, em que estavam descritos os aterrorizantes riscos aos quais eu estaria vulnerável (aliás, essa parte em si merece um post, cômico, é claro). E, de quebra, ainda ganhei a oportunidade de passar por um clássico pós-operatório, com sessões intermináveis de vômito, dores mais teimosas que eu e a total dependência à (boa) vontade de médicos e enfermeiros. E o mais importante, o constante medo da morte, já que só consegui ver minha mãe e ter a certeza de que ela estava fora de risco 3 dias depois da cirurgia. Enfim, eu pude por a vida (aquela com letra maiúscula) em xeque e isso sem precisar ter uma doença grave. Viu? Essa coisa de doador e receptor, herói e vítima, isso tudo é muito relativo. Afinal de contas, quem salvou quem? Não importa...

Saímos, eu e minha mãe, vivas daquele hospital. Provavelmente, mais vivas do que quando entramos. Com certeza, mais felizes. A recuperação até que está sendo bem rápida. Já estou até conseguindo viver grandes emoções. É isso. Quando eu saí do hospital, abriram um laptop pra que eu pudesse ler e-mails de amigos. Como vcs devem imaginar, vim dar uma espiadinha no blog. O que aconteceu? Um rio de lágrima, assim mesmo, bemmmm estilo novela mexicana.

Não estarei exagerando se disser que depois de sair do hospital, 3 coisas me fizeram sentir gente denovo: tomar banho sozinha, escovar os dentes e o sentimento que as mensagens deixadas no blog geraram em mim.

Léo, vc conteve as lágrimas porque afinal de contas é meu super-estivador, com covas no queixo, doçura e tatuagem no peito, um monte de sacanagem na cabeça e asas de corvo escondidas por baixo da camisa. Vc é o meu (anti)herói !!!

Ana, vc disse que a homenagem que me fez em seu blog foi simples e se surpreendeu por ter me tocado tanto. Vc só esqueceu que são justamente as "simplicidades" dessa vida que mais me encantam. Eu amo música, acho que meu coração não bate, canta. Saber que pensar em mim te faz lembrar dessa música é mesmo um afago.

Paula, Tossan, Bill, Rebeca e Martha, queridos amigos, vcs representam pra mim a luz do sol que entra pelas frestas da janela quando amanhece um novo dia. A cada vez que leio vcs, fico feliz por saber que ainda existe tanta sensibilidade nesse mundo tão brutalizado.

Mai e Batom e Poesia, nunca medi sentimento por tempo, acredito que uma ligação forte entre pessoas pode ser sim construída num único segundo, quando duas pessoas de coração aberto compartilham uma situação que vale por uma vida inteira. Vcs duas, através das palavras que escreveram, estiveram presentes (e foram um presente) num momento muito importante da minha vida.

Kaká, Candy, Kari, Branca, Fabricante, Ava, Bárbara e Miguel, por mais complicada que seja a recuperação depois de uma cirurgia, tudo fica mais fácil quando a gente tem motivos pra continuar. As palavras de vcs me fazem acreditar mais na vida e gostar mais das pessoas.

Enfim, ler vcs me fez por alguns momentos esquecer que havia outro órgão no meu corpo além do coração. Obrigada, muito obrigada. Mas eu não estaria sendo justa se não ressaltasse uma coisa. Não é a “grandeza” de um gesto que demonstra a grandeza de sentimentos. Saber doar afeto, ser desprendido de pré-conceitos daqueles que determinam o que é amizade e seus limites territoriais e emocionais, estender a mão a um “desconhecido”. Pra mim, nada disso é menor ou menos digno de aplauso do que doar um órgão pra ajudar alguém que amamos. Afinal, doar o corpo é fácil, o difícil é doar a alma.

P.S.: O transplante foi aqui em Juiz de Fora, Minas Gerais. Os médicos já liberaram minha mãe pra voltar pro Rio, mas ela ainda está sentindo algumas dores e resolvemos ficar mais um pouco. Apesar disso, a recuperação dela tem sido bem rápida. Agora é só uma questão de tempo. A palavra rejeição ainda nos ronda feito uma sombra, mas nessas horas a gente escancara as janelas e deixa a luz entrar.

22 comentários:

©tossan disse...

Na doação vive o maior amor
todas as bençãos divinas
entre os sentimentos
é chamado vida límpido, belo,
sublime ato.
Portas foram abertas,
trombetas foram tocadas na terra dos anjos olhavam a vida sendo doada.
Diziam que seres humanos se tornam faíscas de Deus, criam a vida no mundo, dão suas essencias divinas,
sangram de amor pelos seus.
Os homens se tornaram sublimes
regados por esse amor trazem agora marcas como Aquele que também se doou. (Yukihanna)

Beijo moça, agora serás mais feliz!
Te sinto verdadeiramente especial, antes e depois.

Livre Pub disse...

Tão bonito doar a vida através de um órgão ;'D

Mai disse...

Dani, tenho estado a correr e, neste ultimo mes, os dias estão menores e maior, o meu cansaço. Desse modo não tenho conseguido visitar, ler blogs ou escrever, como antes fazia.
Mas a partir da homenagem que o Tossan te fez no 'amigos na blogosfera', passei a seguir o 'impressões digitais'.
.
Foi o Leo quem me falou do teu procedimento cirurgico e voltei. Saber como estavas, através de ti, em visita ao 'inspirar' foi uma outra DOAÇÃO tua, porque eu fiquei imaginando que, ainda estavas sentindo dores e superavas a dor para retribuir um simples gesto em que vibrei, mentalizei, desejei profunda e sinceramente que tudo fosse exitoso, que tudo valesse as vidas e as dores sentidas.
E agora, Dani lendo e sentindo tuas palavras, fiquei ainda mais tocada com a grandeza de tua alma. Mais que emocionada, deixaste-me cativa.
Ser SIMPLES ASSIM, como demonstras ser, não é tão simples assim. Teus sentimentos e gestos são próprios de quem é grande, quem tem alma grande.
Retribuo as tuas palavras, com as quais concordo plenamente. Encontros se dão e não há como explicar o que acontece quando os corações são capturados.
Um beijo, Dani.
Fica bem, amiga.
Talvez sem querer, você se transformou em exemplo.
Anyway, I'm here and here comes the sun.
You are so beautiful!
SAÚDE! E Obrigada.

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Dani,

Escancara a fé, mulher linda! Não desacredite em nenhum momento, NENHUM! Abra as janelas da vida e deixe a cura divina invadir.

Beijo grande, bem grandão.

Rebeca

-

Leo Mandoki, Jr. disse...

eu sou aquele que está em ti...pq tu me aceitaste em ti. Não estou habituado a isso. Estou habituado a ser enxotado de dentro das pessoas...e tu me acolheste! Obrigado.

Kaká Bullon disse...

"Há vida, há sons...Mas, em primeiro plano, PALAVRAS." Palavras de conforto, de carinho, de otimismo... qualquer palavra que venha do coração, sempre é um presente, né?... Fico muito feliz em saber que está bem, que sua mãe está bem, que apesar das dores há uma linda sensação de estar inteira. E imagino que esteja mesmo. Qual a outra forma de estar inteiro senão doando-se? E não falo apenas do ato "doar um rim".. mas de doar de si, sentimento, coragem, cumplicidade, fé...
Obrigada pela visita, pelo "sinal de fumaça" e não necessita agradecer-me o carinho sem a costumeira "amizade burocrática" (que tbm não admiro). Palavras são presentes.. e presente a gente não agradece. ;)
Fique bem flor!

"amanheça brilhando mais forte"

Valdemir Reis disse...

Olá amiga.

Obrigado por sua gentileza. Parabéns pela excelente materia publicada, tema interessante, que maravilha! Sublime... Ótima contribuição. Aproveito para informar que em virtude do "MBA" o tempo ficou muito apertado em conjunto com as demais atividades que desenvolvo, mas qdo sobra um tempinho venho dividir com os amigos(as). Aproveito para compartilhar um pensamento de C. Coralina; "Se temos de esperar, que seja para colher a semente boa que lançamos hoje no solo da vida. Se for para semear, então que seja para produzir milhões de sorrisos,de solidariedade e amizade." Votos de muito sucesso, brilhe sempre! Tenha um ótimo e alegre fim de semana, muita paz e luz, fique com Deus, felicidades. Forte e fraterno abraço. Felicidades.

Valdemir Reis

Anônimo disse...

Sem palavras para comentar teu blog. Adorei a oportunidade de poder visitá-lo.
Muita paz, muita luz e muito amor em seu coração.
Um super abraço.
Aham!

b disse...

Agora, é só continuar caminhando...

Fabricante de Sonhos disse...

Minha linda!!!
Que bom te saber que vc está assim, bem e feliz!!!!
E olha, todas as palavras aqui postadas de boa recuparação e saúde para vc e sua mamãe, foi só pq vc merece! És digna da admiração de todos e meu maior desejo é que Papai do Céu continue te abençoando!!!

Um beijo enorme e saiba que pode contar com os amigos da blogsfera!

Nós não nos vemos, mas nos sentimos... E isso basta!!!

Um beijo enorme nesse coração bonito!

Candy disse...

Eu nao tava comentando, mas eu tava acompanhando de longe, lendo tudo, comentarios dos outros blogueiros aqui, tudo...
Seu gesto é de uma grandeza sem tamanho e sei que vc sabe disso.
E como vc falou, quem salvou quem, afinal?
Tem mto de dar valor oq se tem, dar valor aos sentimentos, aqueles mais profundos e verdadeiros.

Que sua mãe continue melhorando (e vc fique 100% tb!).
To torcendo daqui.

*realmente as pessoas que frequentam nosso blog fazem uma diferença gigante, até quando nem esperamos nada. Dizer que amizade virtual é mais superficial ou isso e aquilo, é simplista. É querer dar nome ao que nem deveria ter nome. Só sabe que ta nesse mundo.
É superficial? que seja, então. Mas dessa superficialidade eu nao quero abrir mão.

beijão!

Mai disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mai disse...

Dani, volto para te agradecer e dizer da tua importância e de tuas palavras por lá. E, SIMPLES ASSIM, creio que há coisas que escapam à razão porque A RAZÃO inexiste quando apenas sentimos e não sabemos o porquê.
.
E eu sinto, quase corporificados, a verdade-beleza do outro e a grandeza-nobreza de alma do outro. E de fato não importam as dimensões do tempo ou lugar. Porque há dimensões que se explicam simplesmente pela emoção. Isto se deu comigo em relação a ti.
.
Sempre recebo palavras gentís no 'inspirar-poesia' tanto quanto no 'mundos-e-peles' e cada comentário é importante para mim, porque tenho ânsia de saber e sou quinininha ainda e tenho muito que aprender. Mas há comentários que guardam palavras tão fortes e significativas, que tomam corpo e fazem um 'catch' profundo em minha razão e emoção e repercutem, reverberam, ressoam lá, bem fundo em mim. Tuas palavras tem provocado este efeito. Tenho aprendido a lidar com os opostos e os sentimentos ambíguos que me movem. Nesta direção, encontrar o equilíbrio e a melhor medida das polaridades e dualidade que existe nos humanos, tem sido exercício diário de auto conhecimento e crescimento.
. Força e delicadeza, equilibrio na ação e expressão, se transformaram em uma obstinação e fonte para o crescimento pessoal e espiritual, em meu viver.
E consguiste compreender aquele texto e encontraste a minha alma e encontraste, exatamente o que me movia quando escrevi. Eu fiquei como ainda estou, absolutamente emocionada, perplexa, atônita, feliz. Uma mescla de sentimentos.
Isto me faz crer que viver vale a pena e por isto você vive duplamente porque parte de você vive em sua mãe e você vive - SIMPLES ASSIM...
Sim, o sol vem, o sol vem vindo e virá aqui ali e em todos os lugares.
Se tua mãe deu-te a vida e se parte de ti, agora, mora em tua mãe e se parte dela, em ti, és tu e assim tu és ela e ela é tu porque somos iguais, sim, tu vives POR INTEIRA, ÍNTEGRADA e, SIMPLES ASSIM, tu és este SOL que está e que ainda está vindo e brilhará.
Beijos, querida, saúde e paz!
Carinho e admiração,
Mai

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Dani,

Essa música arrepia, essa música une, essa música mostra que não existe barreira pra sentir uma emoção. E em certo momento da vida, precisamos desse alguém ao lado, nos apoiando em tantas coisas. Não sei o que acontece lá no Néctar, viu? Se você não consegue visualizar assim que posto, então espera um pouquinho pra tudo ficar certo. Olha, essa troca de querer bem é verdadeira, Danielle. Admiro demais sua personalidade, sua força, sua valentia. Você é uma guerreira linda!

Abre o sorriso que alargo o abraço...

Beijo imenso, menina linda que adoro!

Rebeca

-

paula barros disse...

Querida fico feliz com a notícia que vocês duas está bem. Muito feliz.

O seu texto está super emocionante. Pelas palavras carinhosas com todos, pela mensagem de vida, de esperança e força.

Somos humanos, mesmo quando escrevemos sobre ficções. E você consegue sempre tocar o melhor do humano que temos, resgatar o belo.

Feliz por vocês.

beijos

Ava disse...

Saudades de voce e seus textos...

Bom saber que está tudo bem..


Beijos e carinhos!

Denise disse...

Curiosamente (e isso tb falo por vivencia)
Ao passar por "traumas" desse tipo ha um crescimento incomensuravel do HUMANO que há em nós.

é como se ficassemos especialistas em renascimentos.

Sê bem vinda

carinhos
Denise

Denise disse...

Dani......vc me fez chorar..........gosto de GENTE q gosta de gente assim...simplesmente por gostar.

se quiser me sentirei honrada

licia_sp@hotmail.com


grata pelas palavras e principalmente pela energia existente nelas.

beijo
Denise

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Danielle,

Todo elogio vindo de ti é uma honra. Você é tão iluminada, tão cheia de palavras fortes, tão digna, que quando leio fico emocionada.

Um beijo, um abraço e um cheiro, menina linda que adoro.

Rebeca

-

Mai disse...

E novamente obrigada.
Agradeço e guardarei em meus arquivos e minha memória tudo quanto li em teus comentários.

Muita saúde.

Carinho,
Mai

Bill Falcão disse...

Dani, você resume bem a situação quando diz que "doar o corpo é fácil, o difícil é doar a alma."
E você se saiu muito bem nisso!
Bjooooooooo!!!!!!!!!!!

Miguel Almeida disse...

...não me contive e acabei chorando ao lêr o teu post. Seria injusto dizer que foi pelo teu gesto pela "Grandeza", não.

Foi pela pessoa que eu não conheço e na realidade não preciso porque na partilha de sentimentos, preocupações, felicidades, risos e choros, acabo conhecendo e identificando as tuas emoções, entendendo a pessoa que és.

Entendendo, é natural e lógico o teu gesto.

Fico muito contente por ti e pela tua mãe, sem duvida que ela fez um bom trabalho.
Bj.