Corrente

|



Fim de tarde... Tarde

de sol... Sol

enamorado por um mar de mansas ondas... Ondas

lambendo a fofa areia... Areia

arena de meninos (alguns não tão meninos) correndo atrás da redonda... Redonda

curva da musa morena, ainda que loura... Loura

gelada saindo da lata num chiado-melodia... Melodia

doce do violão safado no dueto com o mar... Mar

que apaga os passos dados e descortina outros caminhos... Caminhos

tortuosos de um cigano coração... Coração

mambembe que, à beira-mar, brinca de estar em paz... Paz

de fim de tarde... Tarde

furta-cor, cambiante, passageira... Passageira...


13 comentários:

Bill Falcão disse...

É, parece que a paisagem de Niterói continua linda!
Bjoo!!

Ava disse...

Coração mambemde... Esse nos deixa sempre com essa sensação de caminhos tortuosos a percorrer.

E apenas brinca de estar em paz, porque no fundo é um furação que tudo arrasa...

Belo poema, moça!


Beijos e saudades minhas!

Branca disse...

Fim de tarde à beira-mar, o coração se aquieta, ainda que momentâneamente, a paz nos faz companhia.

Lindo amiga!
Ótima semana pra vc!

C@urosa disse...

Olá querida amiga Dani, quanta emoção, e música de qualidade, sempre agradável visitar seu blog. Que as sombras amorosas se encontrem em momentos de sublime prazer. E uma mensagem de paz, harmonia, uma semana produtiva.
A energia que nos move para dias melhores e muita felicidade.

forte abraço

C@urosa

tossan® disse...

Minha flor, fiz parte disso, corri atrás da bola e da bola que me davam. Bons tempos e eu aproveitei tudo. Agora aproveito esta horinha mágica diferente com serenidade e de mãos dadas com a realidade que é ótima também. É impossível eu não gostar dos teus esplêndidos textos. Beijo moça

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Dani,

Chico é o cara! Além do bom gosto musical, adorei o texto com finais ecoados. Só você pra dar um toque na emoção que transcende por aqui.

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

paula barros disse...

Achei super criativo sua forma de escrever.

Foi maravilhoso observar Roberta e Chico cantando, a energia boa que passam na torca de olhares, no sorriso, no tempo em que cantam.

Adorei.

beijo

*Carol Carolina* disse...

Dani, adorei seu comentário no meu blog. me abriu pra alguns detalhes q nao tinha pensando.


no meu caso, o fato de nao encarar, é só pra nao deixar declarado oq sinto...nao por enquanto....justamente pelos olhos nao mentirem...=)

mas na hora certa, com certeza n vou escapar...rs

bjao

Leo Mandoki, Jr. disse...

não conhecia a música..e gostei.
como eu já te tinha dito, conforme eu ia escrevendo, a tua imagem me vinha a cabeça, foi estranho, mas foi, de certo, inspirador...
esse teu poema reflecte o teu momento: introspecção e encruzilhadas que nos obrigam a tomar decisões
beijocas de quem te gosta mto

meus instantes e momentos disse...

belo post.
Muito bom teu blog.
Maurizio

Stéphanie Lopes disse...

adoreeii ,
mt mt foofo o poster

;*

Ana Clara Otoni disse...

Correndo, amando, escrevendo, vivendo, cantando... Me desculpe,por favor, se tento acrescentar trechos ao texto e à canção não é que estejam fragmentados, inacabos, ora, pois...quem sou eu? O fato é que os dois me envolveram tanto que quando vi já estava assim cantando seu texto e lendo a canção.

Mai disse...

Decorrências, talvez.
E há muito tempo não ouvia essa música.


Beijos.

Obrigada pelas palavras.