Um paralelo

|
Hoje aconteceram dois fatos dignos de nota no meu (maçante) dia.

O primeiro foi ainda bem no início da manhã. É queridos, vi o dia amanhecer de novo. A insônia está de volta, chegou de mãos dadas com o retorno ao trabalho. Será por quê? rs...

Bom, voltando ao assunto, o primeiro fato relevante foi que finalmente acabei de ler o livro que vinha me divertindo e martirizando há alguns meses.

Podia ressaltar vários aspectos desse meu companheiro "de viagem" (literalmente), mas minha relação com livros é bem parecida com a que tenho com pessoas. Não me sinto muito à vontade pra fazer análises. Verdade ! Minha relação com a literatura é muito mais intuitiva, emocional, do que propriamente intelectual. Contraditório? Novidade... rs.

Mas vou sim destacar uma citação do livro. Só que antes, vou contar a outra coisa que aconteceu hoje.

Fui convidada (na verdade, intimada, mas abafa o detalhe... rs) a desenvolver um trabalho com adolescentes, objetivo: conscientização política. Formação de disseminadores de conceitos de cidadania, tentar transformar estudantes em educadores e fiscais de práticas abusivas nas campanhas eleitorais locais.

Já sei o que vc está pensando. Acredite, pensei mais ou menos a mesma coisa. Como fazer com que um jovem seja "fiscal da ética" dos candidatos num país em que falar de ética, especialmente na política, parece até piada infame?

Foi justamente nesse momento que me lembrei do trecho do livro sobre o qual falei mais acima. Ele defende a idéia de que a imaginação positiva não é mera questão moral, e sim um meio concreto de alcançar desenvolvimento político, social e econômico. Em seguida, questiona: "Como se faz pra nutrir em outras pessoas uma imaginação mais esperançosa, mais afirmativa, mais tolerante?"

E essa é a minha questão de hoje. Complexa? Imagina... rs. Mas sabe de uma coisa? Acho sim que tenho o perfil pro trabalho. Por quê? Porque sou tão cara-de-pau que tenho a petulância de acreditar e ainda defender a idéia de que esse mundo pode sim ser um pouco melhor...

É, dessa vez, aceito a camisa-de-força, mas, pelo menos, compra uma bonitinha, tá? rs... rs...

7 comentários:

Passado disse...

Desencontros...

Enquanto por lá te espero, reafirmo minha satisfação ao lhe parabenizar. As congratulações que lhe são devidas não vêm do acaso.

Minha estima pela criança que completa poesias é indiscutível e "iplanejada"... ;)

Dona Fiona Juana...

Um dia lhe envio um texto. Há muito não escrevo.

Simples Assim... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zunnnn disse...

"o brasil vai ficar rico e vamos faturar um milhão.. se vendermos todas as almas e nossos indios num leilão"?
rs
é essa a.. imaginação positiva? rs

brincadeira..rs nao podia passar deixar..

mas enfim..

se precisamos de ideologias pra viver? é claro que precisamos!
se precisamos da imaginação positiva pra se drogar todos os dias?
aah, é claro que.. que... quase..rs

abraço

a má estrela disse...

bom,descreio da politika,mas ficou a duvida... que livro era mesmo hein?

Melia Azedarach L. disse...

A mesma pergunta do Alter "qual o livro?"
To curiosa aqui querendo saber...

E ainda fico feliz de existerem pessoas que ainda tem esperança de alguma coisa melhorar...Não que eu não tenha essa certa esperança, mas ando mais descrente do que nunca, minha dose de espera-nça diante de diversos fatores diminuiu tanto.

Mas Helena é Helena é simples assim e ela tem esperança, muito mais do que eu rsrs.

Beijos querida, agora pode perdoar meus dias de relaxo total sem vir ler e comentar direito.
Bom final de semana!

Simples Assim... disse...

rs... rs... Sou muito desligada... aqui vão os devidos créditos...

O mundo é plano, Thomas L. Friedman, Ed. Objetiva

Trata da globalização e seus efeitos políticos, econômicos e sociais.

É mais interessante e menos óbvio do que parece. E chega de análises por motivos já ditos... rs.

Bjin !!!!

La Critique disse...

que bom saber que te conheço!

shauhsua

nossa, vi seu comentário lá na Melia, da tar de de sábado, "vou ler no verde em frente a plantação de pepinos" ou alguma coisa nesse sentido, e pensei: "como eu quero e preciso de um tempo pra mim ler".

Eu adoooro ler, mas ultimamente tenho feito um turbilhão de coisas, e não me sobra tempo pra ler sabe, isso está me matando de ódio. Estou lendo um livro de ficção, chama-se "Presa Fácil". Comprei nas férias "O Diabo Veste Prada" estou ancioso para ler ele, quase estou parando de ler o outro.

Pena que o computador tem um ímã que me atrai. Não me deixa ir ler...

Abraços.