Leveza e profundidade

|
Já falei aqui sobre minha relação com livros. Pois bem, o que direi agora (assim como todo o resto) não será nenhuma novidade. Pra mim, livros são como pessoas. Eles passam por minha vida de diversas formas. Provocam variados efeitos.

Às vezes deixam-se ficar por mais tempo, sem pressa, até que tudo que há a ser compartilhado seja devidamente descoberto e aproveitado. Outras vezes, passam tal qual ventania, intensa e breve, deixando-me, a princípio atônita e depois revigorada diante da necessidade de reconstrução. De um jeito ou de outro, livros deixam sempre marcas em mim, umas mais superficiais, outras tão profundas que parecem que sempre estiveram lá.

"A menina que roubava livros", de Markus Zusak (Editora Intrínseca). Essa foi minha companhia fiel e arrebatadora dos últimos dias. Com ele, chorei 3 vezes. Sorri incontáveis vezes. Refleti desde a primeira palavra. Ainda continuo refletindo... ainda continuo sentindo... ainda...

8 comentários:

SamuelT disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
SamuelT disse...

Ô que bonito... Mobem chora com livros. Fiquei com vontade de ler agora. Confio muito nos seus julgamentos (e nos seus sentimentos).

Espero te ver postando mais sobre livros. As vezes tenho vontade de ler mas não sei o que.

Beijo

Anônimo disse...

Ultimo comentario e eu acho que vc deve saber pq..........
z...

abraço

´La Critique disse...

nossa... minha relação com livros tb é mto boa helena. Adoro-os.

Choro com eles, sorrio com eles, vivo como os personagens deles.. e o mais importante, não importa qual livro seja, aprendo com eles.

Adoro ler, acho que todos deveriam ter este hábito tãop raro no brasileiro, ler é fantástico.

A leitura nos transporta para um mundo individual nossso, parece que viajamos àquele mundo que se passa a história e tudo a nossa volta fica inerente à nós...

Bjs!

Armando Maynard disse...

Livros e filmes que emocionam,realmente ficam por um bom tempo, a ocupar um espaço em nossa memória,que logo,logo irá ser ocupado por outros...Um abraço,Armando(lygiaprudente.blogspot.com)

Bill Falcão disse...

Livros roubados, emprestados, dados...Valem a pena! Quase todos!
Bjoooooooo!!!!!!!

amelia disse...

Menina, hoje "estou com a macaca". Já estou comentando seu 3° post de uma só tacada. rsrsrs
Pois é, coincidentemente e sem qualquer combinação prévia, estamos lendo o mesmo livro e passando pelas mesmas emoções. Eu, ainda no começo e gostando bastante. E lendo-o, descobri de onde vc tirou a frase que colocou no seu msn hehehe.
Mas o que eu tenho a comentar mesmo é que livros são como experiências vívidas( com acento agudo mesmo, que significa, ter vivacidade, brilho, fulgor)...Ah, os livros...que seria da vida sem eles? Eu não passo um dia sequer sem lê-los. Uns inesquecíveis, outros não, mas... sempre acrescentando algo à nossa existência...E que assim seja. Amém!!!

Fabiano disse...

Sabe Fê....Vc só me emociona com as palavras,a cada vez mais,sua sensiblidade é extremamente benéfica para comigo,vc é de uma doçura sem igual,eu quando leio me sinto assim tbm,as sensaçôes...elas afloram na minha pele...elas me adentram e me rasgam,fico com desejos de me realizar em todos os sentidos.E lendo "Leveza e Profundidade"me deu essa sensação....de me buscar mais e me realizar.
Adoro vc D....
Muito mesmo.