Mais uma metáfora

|
A falta de ar. Lá estava ela de novo. Com seu sorrisinho de lado, como quem diz: "Vim pra te ensinar umas coisinhas." Ela ensinava mesmo. Talvez não ensinava, mas fazia lembrar. Às vezes é bem útil lembrar alguns detalhes importantes.

Respiramos o tempo todo, isso nos mantém vivos, ainda que não tenhamos consciência. O fato de não termos consciência não faz com que a necessidade não exista. Aliás, nossa falta de consciência não altera nada à nossa volta, desconfio de que nem dentro de nós.

E se tivéssemos "consciência", respiraríamos melhor? Boa pergunta. Acredito que não. Talvez não mudaria nada. Talvez tivéssemos só mais cuidado. Talvez...

Eu vou pensando, tentando respirar, tentando existir, tentando resistir. Ela não pensa. Ela simplesmente existe. Há falta. A falta de ar. A falta de consciência. A falta.

7 comentários:

Melia Azedarach L. disse...

As vezes é bom vir aqui e ver, simplesmente "te ler" e perceber certas coisas.
Falta de ar tomando vida, puxando cadeira, tomando espaço...
As vezes precisamos sentir, mesmo que uma dor, só para lembrar o quanto estamos vivos...
"atchinn"
Sem beijos, não quero te passar meu começo de gripe rsrs.

Bill Falcão disse...

Sim, talvez só tivéssemos mais cuidado. O que talvez não mudaria nada, né?

Passando pra uma breve visita! Mas escrevo brevemente!
Bjoooooooo!!!!!!!!

amelia disse...

Pronto querida, agora posso dizer que estou em dia com seus deliciosos escritos. Atualizei-me e acho até que extrapolei. Abusei do seu espaço e me alonguei demais (nem tenho esse costume). Sei lá o que me deu rsrs.
Ainda bem que a falta de ar é passageira, né? Umas bombadinhas e logo tudo fica bem(nem sempre, mas ajuda). Minha amiga que tb tem bronquite foi ao Pneumologista e ficou aliviada ao ouví-lo dizer que pode "bombar" bem mais vezes ao dia do que ela supunha. Aproveite a dica, sente-se, puxe a cadeira, viaje, mas com os pulmões bem aerados... que é bem melhor.
Bjs e chega de mim por hoje rsrsrs

Ana Karenina disse...

olá querida!
vou recolher os cacos de mim e talvez eu volte mais tarde ok? mil beijos

a má estrela disse...

Mais um post impecavel... curioso,mas parece ter sido escrito durante essa "falta de ar"(seja ela literal ou nem tão literal assim...).

Uma reflexão nem tão profunda diria que a falta de ar no sentido figurativo não passa mesmo de falta de esperança; isso pq é nela tbm que vc sente os minutos contados,o fim próximo,o desespero instalado,o acaso como unico salvador e portador de uma boa rajada de oxigenio pros nossos pulmões...enfim,por vezes o acaso,por vezes outras coisas(pois tbm existem outras coisas que nos trazem de volta o ar),sempre há algo que nos puxa de volta dessa angustia,eu acho,sempre há algo...

Bom,literalmente,acho que nunca senti falta de ar,exceto nos sonhos recorrentes... ainda assim,muito me atrai o fato de que as pessoas sobrevivam dela,deveria instrui-las do fato de q tudo passa,e que nada é tão ruim quanto parece,e que passados alguns sustos,tudo ficará bem...

Mudando de assunto,será que o livro da menina que roubava livros acaba nela própria escrevendo o seu? Quem sabe,acho que ela tem tudo pra isso.

Bjin querida,até logo!

La Critique disse...

Adoro como vc faz jogo das palavras...

Há falta.
A falta.

Como melia disse, é muito bom vir aqui ler e perceber coisas simples (aí já é coisa minha) que nunca percebemos, ou percebemos mas não damos tanta importância, e vc repassa para as palavras de forma tão sutil, delciada e inteligente.

Assim como a falta de ar.

bjss

Lizzie disse...

(H)á falta em tudo, em todos, sempre.


Beijocas

www.lizziepohlmann.com