Uma questão de honra

|
- Doutor, tá indo embora?

- Estou, já falei com meu cliente.

- Tem um homem aí que tá precisando de advogado. Foi preso em flagrante há um tempão e até agora nem foi chamado no fórum. O senhor quer falar com ele?

- Ele pode pagar?

- Não sei. Parece que não tem muita coisa não. A mulher dele vem pras visitas puxando um monte de menino remelento pelo braço. Talvez tenha uma casa que possa vender. Só falando com ele.

- Manda trazer o homem.

(...)

- Doutor, já vou dizendo que não tenho como pagar pelo seu serviço e nem sou homem de explorar o trabalho de ninguém. Dizem que tem um doutor que trabalha pra pobre, mas até agora nada desse homem aparecer. E a mulher fica chorando querendo saber se me demoro aqui, os meninos tão precisados de uma ruma de coisa e lá em casa de homem só eu mesmo. Só preciso que o senhor me responda se fico aqui ainda muito tempo.

- Não sei. Essas coisas nunca dão pra saber com exatidão, mas eu poderia prever mais ou menos se tivesse seu processo em mãos. Bom, me diga o que aconteceu que vou ver o que dá pra fazer.

- Eu furei um amaldiçoado há uns tempos atrás.

- E ele morreu?

- Ah doutor, homem que é homem não tira uma faca do cós só pra fazer medo não. Ele ofendeu minha santa mãe que já foi embora dessa terra de perdição há um bom tempo. Se eu deixasse por nada não andava de cabeça erguida mais nunca nessa vida.

- E além de ofender sua mãe, o que mais ele fez?

- Ele disse que ia matar. Foi legítima defesa, doutor.

- Então ele tinha uma arma também?

- Sei não. O que ele tinha não sei dizer. Sei o que ele não tinha. Juízo. Com licença da má palavra, mas o filho de rapariga não tinha um pingo de juízo, se tivesse, não tinha bulido com a honra de um cabra macho.

- Entendo.

Mas ele não entendia. Nem sabia o sentido dessa palavra. Tal assunto não fazia parte da grade da faculdade que ele cursou. Não há questões de honra na prova da OAB.

10 comentários:

Ana Lu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Lu disse...

Oie! Interessante o diálogo
;D
Honra é uma coisa mtu importante, devia ter curso disso sim
rsrs
Bjs

tossan disse...

Honra? Ah ah ah... Que honra? Aposto se ele tivesse posses o advogado teria outra postura. Quer apostar? Lembra do caso do promotor dos tiros? Bj

Carlos A. R. Santos disse...

Vc sabe que algumas coisas realmente não podem ser coincidências... Vc entrar no MSN, não responder e ficar away estimulou a minha curiosidade ao ponto de me trazer aqui, ciente do bom texto que estaria prestes a ler. Culpa da saudade, provavelmente. E como sempre nada de decepção por aqui. Abrirei mão de comentar o texto, vc me conhece o suficiente pra saber minha opinião sobre seus nobre colegas "doutores". E que bom que também sabe da admiração enorme que tenho pela exceção, vc.
Beijos de saudade.

Léo Mandoki, Jr. disse...

vc pega pesado né??!!!

olha só!! uma vez mais os nossos textos estão interligados..sem a gente combinar...
Nem a OAB nem as faculdades de Direito ensinam honra de rua. Mas ensinam Stuart Mill e a liberdade do indivíduo em sociedade...espero bem que vc não seja advogada!! vc se sai melhor como psicóloga!!!
ehehehehhehhheh

Juliana disse...

Muito legal MESMO, adorei, homem do interior é assim mesmo, minha avó mesmo deu um tiro no irmão do meu avô porque ele disse que ela não tinha casado virgem, e olha que isso nem faz muito tempo!

beijos

Cadinho RoCo disse...

Se o advogado não entende de questão de honra e sem honrar a honra do cabra situação escurece, eis que o melhor a fazer é o advogado tratar de se defender ao invés de se peocupar em defender o outro.
Cadinho RoCo

Anônimo disse...

Do berço que te embale que te ensine...
A honra e à honra.

Abraço.

Rs....

Zunnnn disse...

Quem foi que fez esse comentário ai acima? rs...

Te incomoda é? Sabida! rs

Eu já me sinto muito descrito e intimamente ligado com aquela "tal" partezinha do texto.

abraço

Zunnnn disse...

Rs..
Naquela hr, eu tava na biblioteca estudando e dei uma escabada pro laboratorio de informatica, pra escrever e dar uma olhada no seu blog..

mas sobre o que eu escrevi, eu detestei..rs entao acabei nem postando...

e que bom que saiba meu estilo..rs

abraço