Se conselho fosse bom...

|
Não tente entender o coração de uma mulher. O entendimento é o derradeiro passo rumo à banalização dos mistérios do sentir. Além do mais, essa seria uma tarefa tediosa e com resultados absolutamente inúteis. Entendê-la não te faria gostar mais ou menos dela. Felizmente, o afeto não acompanha a construção e a queda de nossas ilusões de saber ou não saber. Entendê-la, tampouco, tornaria a convivência mais interessante. Se você buscasse a paz suprema de uma vida sem surpresas, compraria um pinguim de geladeira. Mas não, você está diante de uma mulher. Então, pra que ficar se perguntando por que ela é tão imprevisível ou o que se passa com ela? A única pergunta que deve fazer a si mesmo é se, mesmo sem compreendê-la, você a quer por perto.

Se a resposta for não, qualquer tentativa de entendimento é apenas uma busca por um parâmetro a ser utilizado em relações futuras. Acontece que mais adiante, não só a mulher será outra, como você mesmo será diferente. Morremos e renascemos a cada segundo. Tentar criar um padrão, além de inútil, seria bem frustrante.

Se a resposta for sim, aí mesmo que deve deixar de lado essa tolice de entendimento. Puxe-a pra bem perto, não permita que ela se refugie em suas próprias incertezas. Encare-a nos olhos e deixe que agora ela decida se também te quer.

Se ela falar, ouça-a. Não é preciso entender os mecanismos da translação pra se encantar com o nascer do sol.

Se ela se calar, compartilhe do seu silêncio. Silêncios partilhados são como confidências reveladas. Tem o poder de sobrepujar fronteiras de tempo e distância.

Se ela chorar, não tente enxugar suas lágrimas. Não construa represas que não resistirão à força ininterrupta das águas. O estrago pode ser devastador.

Por fim, meu caro, se ela sorrir. Ahhh, se ela sorrir, mergulhe de cabeça no fundo dos seus olhos. Somente lá, encontrará a única resposta da qual você realmente precisa.

11 comentários:

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Dani,

Até no conselho você sabe a maneira certa que uma mulher quer e deve ser tratada, entendida, bem amada. Não podemos sentir saudade da presença de uma ausência esquecida...

Ai menina linda, você escreve PRA CARAMBA, viu?! Saiba, mas saiba mesmo, que essa admiração recíproca sabe o caminho da verdade emocionada.

Beijo bem grandão, menina linda que adoro demais.

Rebeca

-

[M]. Atahualpa disse...

Caralho!
É a única coisa que eu tenho pra ti dizer com toda sinceridade: CARALHO!

Broto, tu levantaste sem saber uma questão que tenho como alguns dos meus estandartes e cara, eu curto uma tetéia mais ou menos assim, o lance é que não sei por onde ou mostrar que o de mais interessante e movido a todas as adrenalinas possíveis convive com ela quase todos os dias.

Eu sei bem aquela velha regra de ser amigo "quem sabe" e amigo "bicha". Se o cara é um amigo "bicha", porra, fudeu pra ele... Mas se ele é um amigo "quem sabe" sem se perceber que esse "quem sabe" existe, caramba, me diz então como fazer ser possivel esse sorriso que tu falaste no fim e então, como dizes, "cair de cabeça"?

Na boa, vocês são interessantíssimas por isso e putz eu vou linkar teu blog só porque eu achei massa ter passado por aqui e mais massa porque tu sacou a essência do meu texto.

Se não se incomodar é claro... Desde já, paz aê broto e volte sempre! ^^

Mai disse...

Dani, foi muito bom ler você hoje, viu? Relevante, necessário, tuuuudo.
Aliás, acho que 'baixou' um infinito particular na blogosfera. Li na Iara a mulher, o homem e o sexo. Li no Marcelo um encontro, as surpresas, os presentes e finalmente cheguei aqui e fecharia com uma frase da letra de Marisa Monte.
"...só não se perca ao entrar, no meu infinito particular...sou pequenina mas também gigante...sou porta estandarte de mim..."

Você é perfeita e isto não é conselho, é partilha.

beijos, fica bem, amiga.
So stand by me, really and forever, believe me.

Silvana Nunes .'. disse...

BOM DIA.
Em primeiro lugar gostaria de agradecer o carinho de suas palavras para com o meu trabalho, trabalho este que faço com muito carinho e dedicação para vocês, embora muitos e muitos problemas estejam por trás. O seu cantinho também é genial, adorei.
Contar histórias é um exercício fantástico, eu faço isso naturalmente. Na verdade todos nós temos um pouco de contador...
Bem, hoje a minha história para vocês é de DOM SEBASTIÃO - uma das minhas preferidas, espero que aprecie.
Volte outras vezes,
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... terá sempre uma história para contar.
Beijo grande.
Que a PAZ e o BEM esteja sempre com você.
Saudações Florestais !

Leo Mandoki, Jr. disse...

é um perigo isso que vc faz: fica revelando os segredos da alma feminina e pde aparecer alguem mal intencionado e se aproveitar disso!
sabe do que é q eu realmente gosto?
gosto de ser eu a criar novos "segredinhos" na alama da mulher. Porque aí só eu saberei como lidar com ela.
beijocas de saudade

Márcio Vandré disse...

Nenhuma coração é plenamente compreendido.
Por isso, alguns morrem de desamor.
É uma pena, mas a verdade não tem pena.
Por isso às vezes não voa.
Um beijo e obrigado pela visita!

paula barros disse...

Eu não entendo o ser homem....então conclusão, é melhor tentar sentir. Um belo texto.

abraços

Marcelo Mayer disse...

obrigado pela visita em meu blog. e compartilho de sua idéia sobre contos "inacabados"

e como escreve bem! e saudade é uma arma quente, assim como a felicidade é

tossan® disse...

Agora você deu a dica, obrigado. Mulher só se trata com um jeito carinhoso. Se não der certo esqueça estou fora doa o meu peito que já foi feito para isso. Mulheres gostam de homens perigosos. Diga se estou errado... Beijo

Mário Liz disse...

"Silêncios partilhados são como confidências reveladas. Tem o poder de sobrepujar fronteiras de tempo e distância".

eu divagaria por horas nas linhas e entrelinhas destas aspas. E em minhas horas de divagação, eu realmente deixaria o silêncio fluir, assim como um menino que dá vazão a um carretel com sua pipa... lá no olho do vento.

Pessoas admoestam o silêncio em tom de ausência. Mas dificilmente ele é assim.

O silêncio é um ente que quase sempre anda muito bem acompanhado: expressões, gestos, olhares, sobrancelhas, trejeitos, aflição, surpesa, paixão ...

pois então, sim: ele faz e desfaz coisas tal como um grito ou uma sentença escrita.

As mulheres conseguem tecer poesia no silêncio. Elas tem o silêncio mais belo do mundo.

Na minha quietude, eu muitas vezes faço poesia, mas aí, há uma diferença: o meu silêncio busca o verso enquanto o das mulhres, é o próprio.

E eu não falo da poesia em sentido miúdo ... eu falo da poesia que a alma tem: aquela que cospe, que chora, que se decompõe e que se refaz quando ama ou se doa.

E quando você diz sim a uma mulher, você diz a um bisturi, que vai lhe abrir o peito, deixar as carnes à mostra e preencher sua vida com o infinito de todas as coisas.

Ana Karenina disse...

Enfim de volta... De volta no seu cantinho. rs que belo post esse e tanto sentido que ele faz agora.

Perdemos tanto tempo tentando entender os outros, tentando descobrir do que as pessoas gostam e se elas gostam de nós, quem nunca quis saber de nada nunca sobre ninguém? acho que não existe.

é um vício humano mesmo querer entender os outros e que os outros nos entendam e se não entendam que ao menos respeite o seu momento particular.

Como eu adoro essa música, quase um retrato de toda mulher e até de mim mesma.

Conselhos nem sempre são adequados, mas uma palavra ou um silêncio cúmplice, o olhar atencioso e um sorriso convidativo isso todo mundo espera de alguém e não é uma querência exclusivamente feminina e sim humana. :)

Te adoro! Bom estar de volta! bjs.