O motivo

|
Vontade. Vontade de ser, de ter, de saber, de conhecer, de esquecer.

Ser que transcende, que não se apega, não se limita, não se deixa aprisionar pelas amarras que lhe são impostas. Pelos outros, por si mesmo. Ser o que não foi antes. Ser o que já foi e se perdeu pelo caminho. Ser o que nem se supunha capaz. Ser de verdade. Há verdade?

Ter tudo aquilo que pode realmente aproveitar. Ter o essencial e o supérfluo também. O além que não sobra. Ter telhado de vidro que permita contar estrelas. Ter chão de nuvens que apare o tombo. Ter coragem pra viver. Ter medo pra se manter vivo. Há vida?

Saber pouco. O pouco que o leve a querer mais. O pouco que o faça acordar todos os dias, e não só abrir os olhos. O pouco que é a alavanca pra outro olhar, outra tentativa, outra oportunidade. Há oportunidade?

Conhecer outras pessoas, outros lugares, outras situações. Conhecer as mesmas pessoas, os mesmos lugares, as mesmas situações. Conhecer sob outra perspectiva. Há perspectiva?

Esquecer o que ficou pra trás. O excesso de bagagem. Esquecer pra não lotar. Abrir vagas pra novos inquilinos. Esquecer pra poder lembrar. Esquecer o fracasso e guardar o aprendizado. Esquecer o erro e guardar o conserto. Esquecer a briga e guardar o motivo. Há motivo?

Há motivo. Motivo pra ser, pra ter, pra saber, pra conhecer, pra esquecer. A verdade é que são motivos. Vida. Oportunidade. Perspectiva... VONTADE !!!

6 comentários:

Bill Falcão disse...

Belas reflexões, Dani!
Você pensa daí, a gente pensa daqui!
Bjoooooooo!!!!!!!!

Anônimo disse...

Quanto mais eu leio mais quero ler. Você prende, apreende. Teu amigo tem razão, se eu não tomar cuidado serei tragado, devorado por suas palavras. Seus textos são suaves e vibrantes. Li quase todos, comentei só esse. Treinando pra não parecer tão patético diante da esfinge. Ainda não sei se quero ou não te decifrar. Ser devorado até que seria bem interessante.

Fabrícia ♥ disse...

eu tenho vários motivos para esquecer , e nenhuma vontade =~~

ôun , coisa fofa é teu blog vio ?
gostei de paixao x@'

:*
e seus textos são tu-do

Flavinha disse...

Saberei, de mim, o pouco que preciso
para saber-me, de fato, e,
sabendo disso,
saberei mesmo não me ser estranho?
Ou serei eu, apenas,
um rascunho?
Corruptela que, de próprio punho,
a duras penas se foi escrevendo,
e se esboçando
e se submetendo
às entrelinhas das próprias rasuras?


Acredito que seja justamente o que vc definiu que nos faz ser racunho ou obra: VONTADE.

Muito obrigada pela visita que me fez, moça... fico feliz e oigulhosa que tenha gostado do meu espaço, e levo seu link comigo para não me perder no caminho.

Beijos!

jessicadeverdade disse...

Sempre a vontade!
Mas lembando que o amor vem sobre a vontade...
té mais

disse...

Há motivo, vontade, saber?

Há escolha!

Bjo