Idílios virtuais

|
Depois dos flertes entre a mocinha na janela e o rapaz encabulado parado do outro lado da rua, os namoros no portão, a troca de papéis entre homens e mulheres (caça, caçador? bobagem, agora o negócio é tiro pra todo lado), além de todas as outras variantes sexuais e sentimentais, agora nos deparamos com uma outra forma de conhecer, gostar e (pasmem) se relacionar.

Idílios virtuais. Relações baseadas em outras regras, outros conceitos, mas, no fim, do outro lado dos fios e cabos, pessoas. Pessoas são sensíveis. Pessoas são contraditórias. Pessoas são complicadas. Mas, acima de tudo, pessoas são engraçadas. São personagens vivas que tiveram a ousadia de pular pro lado de cá. A vida real.

Portanto, depois de algumas boas histórias (viu o "hi"? vida real, queridos, virtualmente real) ouvidas, eu tinha que escrever sobre isso...


Um encontro, vários desencontros e salsicha enlatada

- Olá !!!
- Oi.
- Quanta animação.
- Eu respondi, oras. O que você quer mais?
- Não quero nada. Aliás, não quero mais nada de você. Ainda está no trabalho?
- Estou.
- Sai a que horas?
- Às 6, como sempre.
- Você realmente não quer conversar hoje, não é?
- E não estamos conversando?
- Estamos.
- Então.
- Ontem pensei em você, em nós.
- Foi?
- Foi.
- Ahn.
- Ahn? O que significa “ahn”?
- Ahn é ahn. Não significa nada.
- Entendi. Nada. Quer saber? Desisto. Com você agora só falo de amenidades.
- Amenidades? E eu lá tenho cara de homem de “amenidades”?
- Pra mim, agora tem. Por falar nisso, estou com vontade de comer salsicha enlatada.
- Então seu conceito de amenidades envolve salsicha enlatada? Bom, melhor eu te lembrar salsicha que novela das seis.
- Que mente suja. Nem tinha pensado no duplo sentido?
- Não? Duvido.
- Está certo, eu pensei, mas estava falando só no sentido “comível” da salsicha.
- Então.
- Bobo.
- Sabe de uma coisa? O fato de eu não falar, não quer dizer que eu não sinta sua falta.
- Você é louco? Eu falando de salsicha e você lembra que sente minha falta.
- Eu não lembrei. Nunca esqueci.
- É?
- É.
- Se é assim, quando vier me ver, terá que trazer salsicha enlatada.
- Umas esperam flores, outras, bombons e você, salsicha.
- Digamos que meu gosto é meio duvidoso. Afinal, gosto de você.
- Eu também gosto de você, especialmente nos momentos em que não falo isso.

7 comentários:

Teresa disse...

ainnnnn
que bonitinhooo hehehe

=*

SamuelT disse...

Ô mô deus... Mobem e seu gosto duvidoso. rs
Nem tenho muito o que dizer... Só vim dizer mesmo. rs

Beijo

Ana Karenina disse...

oh querida, impressões suas sempre me causam boas impressões ainda que estranhas (risos)
que diabos quer dizer idilios mesmo? mas fácil procurar no google ou wikipédia, mas quem disse que prefiro isso? bjs

Melia Azedarach L. disse...

Ah querida, as vezes eu fico pensando só em agradecer, parece o bastante, mas nunca é o bastante...Fico feliz em saber que te inspiro, meus fragmentos de momentos oportunos tomam formam com suas palavras, posso quase que tocá-los, presenciá-los de forma tão ampla, senti-los e guardá-los, não preciso guardá-los só em minha mente, possos salvá-los e lê-los quantas vezes o desejo me permitir.
São lembranças, pedaços e pedaços.
Então agradeço quantas vezes forem necessárias.
Um grande beijo e ótimo fds!

Bill Falcão disse...

Idílios virtuais! Gostei dessa!
É como Impressões Digitais hehe!!
E viva a Era da Informática!
Bjooooooooooo!!!!!!!!!

La Critique disse...

hahaa Salsichas enlatadas.... Não entendo como vc foi ser advogada... Devia ser mesmo era escritora. Não sei se é pq eu mrro de vontade de ser escritor profissional. Tah, mas o futuro é só no próximo segundo, e no próximo, e no próximo, e no próximo. E eu vou ser um escritor profissional, pode escrever, (jah q vc escreve tãao bem hehe).


hj postei um conto tb... Não tao divertido qto o seu. aliás, nehum pouco divertido.

Zunnnn disse...

essa... eu fiquei no vacuo...
an?
me explica..