Aberta

|
A porta está aberta.
Daqui posso sentir o perfume do gramado molhado
e o frescor da brisa que toca zelosa as pétalas das flores.
Posso ver a noite estrelada.
Há tantas flores e estrelas lá fora,
um mundo inteiro à sua espera.
Pode ir.
Nós seremos como a semente que seca antes de germinar.
Depois da decomposição vira chão de onde surgirá nova vida.
Vida... Morte.
Esse nós formado por mim e por você morrerá sem dar os primeiros passos errantes,
sem aprender a se comunicar com o mundo, sem se multiplicar.
Triste.
Vagar no espaço vazio que me tornarei sem você será imensamente triste, doloroso.
Dor... Nada fez doer mais do que ouvir o seu adeus.
Parte porque não encontrou uma brecha pra entrar,
uma lacuna por onde se encaixar,
um trono ornado pra se acomodar?
Ah, quão cego pode ser alguém que pensa que já viu tudo!
Tira a venda e olha pra trás.
Está vendo a noite lá fora, as estrelas, as flores?
Está vendo a porta? Ela está aberta.
Foi por lá que você entrou.
É isso. Você já entrou, mas não percebeu.
Estava mesmo cego,
cego por aquilo que você chama de amor.
Se quer mesmo ir, vá.
A porta continua aberta.

6 comentários:

Léo Mandoki, Jr. disse...

...tem dias que vc tbm é assim né? poetisa q sabe escolher a palavra certa...
em muitas sociedades africanas as casas não tem portas....e qq visitante é bem vindo...é um hospede....
em vc encontrei a porta..não fechada...mas com apenas uma fresta...
beijos

paula barros disse...

Primeiro gostaria de dizer que ficou lindo, poético.

Me lembrou a mim nos últimos tempos, falando de portas...portas que estão abertas para se entrar ou sair.
Mas mesmo saindo vai ficar.
E mesmo pensando que está entrando já estava dentro.

Daria para ficar aqui confabulando comigo mesma.

Me deixa a mensagem de prestarmos mais atenção ao outro. As vezes estamos observando muito a gente mesmo, ou querendo um determinado objetivo, que o que queremos está alí, bem na nossa frente e não percebemos.

abraços, e um lindo dia.

Carla disse...

as portas permitem uma situação dúbia: a entrada e a saída...dorida quando a escolha é a saída e falamos de amor
muito bom o teu poema
beijos

Ana Karenina disse...

me lembrei deste site:
http://letras.terra.com.br/ana-carolina/1245870/

onde há trechos de musica de ana carolina falando de portas, portas abertas, portas fechadas e portas entre-abertas. cada um escolhe a que mais interessar viver no momento.

de uns tempos pra cá, as minhas andam abertas, mas não pra qualquer um, rs

os poemas nos transportam para outro universo, universo as vezes só de imaginação (imagem-ação), mas tudo é possivel aquele que crer e se dispõe a tornar belos poemas em belos momentos reais, rs

poemas seus, delirios meus.

bjs

Branca disse...

Estar com alguém e não sentir esse alguém conosco dói, dói muito mesmo...

bjo carinhoso.

tossan disse...

Meu amigo ficou com ciúme rs.. Eu também, só um pouco. Bricadeira. Gostei muito, eu gosto quando o texto provoca e este é assim. Bj