Verdadeiro delírio

|



Há poucas verdades absolutas nessa vida. E a metade delas é simples e explícita demais pra ser alcançada pelo tão abrangente entendimento humano. Mas eu não sou humano, nem existo de verdade. Sou uma ilusão, um delírio, mais conhecido como narrador, o que tudo vê, tudo pode, tudo alcança. Resumindo, o todo-poderoso. Mentira. Esse meu megalomanismo ainda me mata. Mata? Como posso morrer se não nasci? Nem inventado eu fui. Lembram? Sou um delírio. Um delírio generoso disposto a lhes revelar uma das poucas verdades dessa vida. O amor tem preço sim. Nada, absolutamente nada nessa vida, vem de graça. E mais, como todo o resto, o preço do amor não é fixo, varia de acordo com o câmbio do dia.

...

Naquela noite, chegou em casa cantarolando "O Barbeiro de Sevilha". A vizinha provavelmente achou que ele estava em algum tipo de surto psicótico. Há anos dividia seu apartamento apenas com o silêncio. Nada de músicas, informações ou divagações solitárias. Foi até a cozinha servir a comida que havia trazido. Daquele momento em diante, não jantaria mais sozinho. Agora ela estava ali, esfuziante, companheira, solidária e principalmente fiel. Ela não iria embora. Só a morte os separaria. Ao retirar de uma bolsa plástica as coisas que havia comprado, achou uma nota fiscal. Entre outros itens, estava lá:

- Cadela Daschund________________________R$200,00

...

É, meus caros, como eu havia dito, o amor tem preço. E pode ser surpreendentemente barato. Decepcionados? Que bobagem. Essa não é uma notícia ruim. Nem eu, além de intrometido, sou sádico. Sou apenas um (quase sempre) sincero narrador. Aliás, como eu também falara inicialmente, sou apenas um delírio.

P.S.: Hoje fui surpreendida por uma notícia que me deixou muito honrada. "Flagrante cumplicidade", texto postado no Impressões há um tempo, está no Jornal da Lua. Quem puder passar por lá pra dar uma olhada vai entender por que fiquei tão lisonjeada. O blog é ótimo, a escolha dos posts é cuidadosa e nada previsível, consegue ser bem humorado sem ser engraçadinho, inteligente sem ser enfadonho. Além do mais, Bill, o "pai da criança", é uma das pessoas mais interessantes que já encontrei por essas minhas andanças pela blogosfera. Quer ver como não estou exagerando? Olha só: www.jornaldalua.blogspot.com/

19 comentários:

Leo Mandoki, Jr. disse...

gostei bastante disso! é bem verdade...o amor tem preço variável, e há quem se hipoteque até a raíz dos cabelos para conseguir amar. Dps o amor acaba e a hipoteca é executada. Fica tudo na rua da miséria.
....
finalmente algo bom nesse jornal da lua....que eu sempre considerei um jornal tendencioso e interesseiro; mas acho que dessa vez, fez uma ótima escolha!...mas fiquei preocupado! se vc considera essa pasquim um dos mais interessantes da blogosfera do seu conhecimento, o que será dos outros que tbm são do seu conhecimento?
...fiquei preocupado!

Mai disse...

É Dani é uma sofreguidão um desespero dos diabos prá se amar e ai, tudo se confunde. Mas a mentira é como uma rolha, né?
Beijos

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Dani, Esse narrador é um fofoqueiro, hein. E esse preço nesse preço até que não é os dos mais graves.

Vou dar um olhada na dica do blog.

até mais.

Jota Cê

Cleo disse...

Dani, parabéns! vim do blog do Bill, fantástica "Flagrante cumplicidade", e não é que é isso mesmo?
E quanto à esse "delírio", adorei. generoso e sábio, bravíssimo prá você. Depois da minha volta em março apareço novamente.
Grande beijo com carinho.
Cleo

Barbara disse...

Preço sempre!
E que desafio seria se não tivesse?

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Vim deixar, Dani linda...

Final de semana chegando e a correria diminuindo. O negócio é curtir a desaceleração dos afazeres e sentir que a preguiça nessas horas tem seu valor. Então, vou deixar uma música que acho maravilhosa, pode ser?

É essa:

http://www.youtube.com/watch?v=VqVwY5PJNGw

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca


-

O Santo Forte disse...

fui la e li seu texto...

Kari disse...

O meu amor custou um poquinho mais. E até hoje custa consultas, remédios, noites de sono... Mas é incondicional!!!!!

Já o meu outro amor é de graça. Mas até que custa umas boas passagens de avião...

Beijão pra tu, moçinha!!!

paula barros disse...

Dani...adorei o delírio do narrador..e ele pode tudo mesmo.

O escritor pode tudo...muda de sexo, troca nome de parentes, inventa personagens que já existe...é um verdadeiro delírio.

E amar tem preço mesmo, e o balancete final nunca fecha conforme a matemática.

beijo

Ana Karenina disse...

olá Dani

gostei de ter assumido sua identidade, ano novo, vida nova, posturas novas também... rs

olha minha listinha de desejos pra esse ano é pequena pra ver se consigo me comprometer e cumprir com elas.não é segredo para os amigos, qualquer dia te conto, rs

bom te ver de volta em 2010! vida blogueira longa!

bjs

tossan disse...

O jornal da lua que visitei não tem nada que me comove só você. Beijo

Sandra Timm™ disse...

Eu quero um amor que custa caro: um gato persa!!!!!

Já tinha lido teu texto lá no Jornal da Lua e gostado muito.

Beijo

Candy disse...

Na hora que entrei aqui pra ler tudinhooo, estao me arrancando do pc!
=/
mas pra nao dizer que nao reparei em nada, o lay está lindissimo!
e volto aqui pra ler e comentar direito, viu?

beeeeeijao, menina!

Ana Karenina disse...

flor
cadê os posts antigos? aqueles por mes e ano? rs
bjs

Kaká Bullon disse...

Dani e sua habilidade incrível de contar histórias, de narrar. Sempre me comovo...

O "Flagrante Cumplicidade" é um dos meus favoritos!

Conheço uma história sem final, contada de vó pra neta, para qual sempre quis inventar um the end que a mereça. Toda vez que leio seus contos penso que tinha que ter uma cachola dessas pra conseguir! Escreve em parceria? rs

Beijos querida

Le Vautour disse...

Que blog diferente e admirável! Nenhuma filosofia, aqui, é barata, mas profuuuundaaaa! Obriga-nos a mergulhar dentro de nós e - se for o caso - desatar alguns nós.
Estou adorando o que vou lendo. Lentamente. Lendamente. Além da mente. Muito além.

Ana Clara Otoni disse...

Apenas o mais sábio e real delírio (?) poderia entender que o amor varia com o câmbio do dia e que nada vem de graça. Esperamos sempre alguma coisa, nem que seja um sorriso. Brilhante seu trabalho por aqui! =) Gosto muito também e espero, em breve, fazer a minha singela contribuição para o Impressões.

PSIU: vc está no twitter? Me segue lá @anaclaraotoni. Beijos!

in natura disse...

Que bom que você gostou Danielle, Tossan me mostrou e ficou sem jeito de colocar no blog dele, pois achava que era alto promoção, então ofereci o meu espaço. Você escreve divinamente! Beijuss e obrigada